ParaPraPensar.com

NÃO FAÇAM DA CASA DO PAI COMÉRCIO!

“A Páscoa dos judeus estava se aproximando, e Jesus subiu para Jerusalém. Encontrou no templo os que vendiam bois, ovelhas e pombas, e cambistas assentados negociando; tendo feito um chicote de cordas, expulsou todos do templo, bem como as ovelhas e os bois, espalhou pelo chão o dinheiro dos cambistas e virou as mesas; e disse aos que vendiam as pombas: “Tirai essas coisas daqui; não façais da casa de meu Pai, casa de comércio.” Então seus discípulos lembraram-se do que foi escrito: “O zelo pela tua Casa me consumirá”. Os judeus o contestaram, dizendo: “Que sinal de autoridade nos mostras, para agires dessas maneira?” Jesus lhes respondeu: “Destruí este templo, e, em três dias, Eu o reconstruirei.” Replicaram os judeus: “Em quarenta e seis anos foi construído este templo, e tu afirmas que em três dias o levantarás?” Ele, porém, se referia ao templo do seu corpo; Por essa razão, quando Jesus ressuscitou dentre os mortos, recordaram=se os seus discípulos de que Ele dissera isso; e creram na Escritura e na Palavra pregada por Jesus”. João 2:13-22 (KJA)

Já estava chegando a festividade da Páscoa, instituída pelo Senhor Deus lá em Êxodo 12, e Jesus foi para Jerusalém. Porém, ao chegar no pátio do templo, o que o Mestre Jesus encontra faz com que Ele tenha uma reação até então desconhecida em seu ministério. Jesus teve uma reação inesperada por todos, Ele irou-se ao ver os comerciantes vendendo animais para os sacrifícios e os cambistas realizando troca de dinheiro dentro do templo. O Senhor Jesus fez então um chicote com cordas e expulsou a todos eles do templo, juntamente com os bois e ovelhas, espalhou pelo chão o dinheiro e virou as mesas dos que ali estavam fazendo negócios. Depois de ter feito isso, ainda indignado com o que havia visto, o Cristo olha para os vendedores de pombos e os manda tirar os pombos do templo, para que não fosse feito da casa do Pai uma feira.
Read More

TU ÉS O FILHO DE DEUS, TU ÉS O REI DE ISRAEL!

“No dia seguinte, Jesus decidiu ir para a Galileia. Quando encontrou a Filipe, disse-lhe: “Segue-me”. Ora, Filipe era de Betsaida, cidade de André e de Pedro. Filipe encontrou a Natanael e disse-lhe: “Encontramos Aquele sobre quem Moisés escreveu na Lei, e a respeito de quem também escreveram os profetas: Jesus de Nazaré, filho de José”. E Natanael disse-lhe: “Pode alguma coisa boa vir de Nazaré?” Filipe respondeu-lhe: “Vem e vê”. Jesus viu Natanael se aproximando e disse a seu respeito: “Eis um verdadeiro israelita, em quem não há falsidade!” Disse-lhe Natanael: “De onde me conheces?” Respondeu-lhe Jesus: “Antes de Filipe te chamar, quando tu estavas debaixo da figueira, eu te vi”. Natanael exclamou: “Meste, Tu és o Filho de Deus! Tu és o Rei de Israel!” Jesus lhe respondeu: “Porque Eu disse que te vi debaixo da figueira, crês? Pois tu verás coisas muito maiores do que estas”. E disse-lhe Jesus: “Em verdade, em verdade vos asseguro que vereis o céu aberto e os anjos de Deus subindo e descendo sobre o Filhe do homem”. João 1:43-52 (KJA)

Diferente de André, que tornou-se seguidor de Cristo através do testemunho de João, e de Simão Pedro, que seguiu ao Senhor através do testemunho do seu irmão André, Filipe foi chamado pessoalmente por Jesus, não usando diretamente homem algum. Jesus o encontrou e simplesmente disse “Segue-me”. Nisto percebemos como o Eterno chama de maneiras variadas a crer em Cristo. É o mesmo Espírito que conduz a todos os crentes em Cristo, mas nem todos estes passam pelas mesmas experiências. Nem todos são chamados da mesma forma. Deus chama a cada um de acordo com a Sua vontade, para que sejam cumpridos os Seus propósitos. Também percebe-se nestes textos como Filipe percebe que Jesus é o Filho de Deus através das profecias dos antigos profetas e dos textos mosaicos, é importante notar Antigo Testamento aponta para o Cristo que viria, e o Novo testamento para o Cristo que veio. Jesus está amplamente presente nos textos do Antigo Testamento, e estes textos comprovam que Jesus é o Cristo. Read More

PROCLAME A CRISTO CONTINUAMENTE!

“No dia seguinte João estava outra vez ali, e dois dos seus discípulos; E, vendo passar a Jesus, disse: Eis aqui o Cordeiro de Deus. E os dois discípulos ouviram-no dizer isto, e seguiram a Jesus. E Jesus, voltando-se e vendo que eles o seguiam, disse-lhes: Que buscais? E eles disseram: Rabi (que, traduzido, quer dizer Mestre), onde moras? Ele lhes disse: Vinde, e vede. Foram, e viram onde morava, e ficaram com ele aquele dia; e era já quase a hora décima. Era André, irmão de Simão Pedro, um dos dois que ouviram aquilo de João, e o haviam seguido. Este achou primeiro a seu irmão Simão, e disse-lhe: Achamos o Messias (que, traduzido, é o Cristo). E levou-o a Jesus. E, olhando Jesus para ele, disse: Tu és Simão, filho de Jonas; tu serás chamado Cefas (que quer dizer Pedro)”. João 1:35-42 (KJA)

Esses textos refletem os momentos iniciais da igreja cristã, é o momento onde começam as surgir os primeiros seguidores do Cristo. João já a havia declarado no dia anterior que Jesus era o Cordeiro de Deus, mas a princípio não parece ter surtido tamanho efeito, porém,  no dia seguinte, ao ver Jesus, João repete: “Eis o Cordeiro de Deus!”, e desta vez algo diferente acontece. A insistência de João Batista na proclamação do Cristo gerou frutos. Os discípulos de João ao ouvirem o que João disse tornaram-se agora seguidores de Jesus. E ao ver que agora o seguiam, o Senhor Jesus lhes perguntou o que estavam procurando, e eles após chamar a Jesus de Rabi (Mestre), responderam-lhe perguntando onde Ele estava se hospedando. Em seguida o Senhor Jesus os chamou e mostrou onde estava morando e ficaram com Ele naquele dia. Read More

O CORDEIRO DE DEUS QUE TIRA O PECADO DO MUNDO!

“No dia seguinte, João viu a Jesus, que vinha caminhando em sua direção, e disse: “Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo! Este é aquele do qual eu disse ‘depois de mim vem um homem que tem a excelência, pois que já existia antes de mim’. Eu não o conhecia, mas, a fim de que Ele fosse revelado a Israel, vim, por isso, batizando com água”. E João testemunhou, dizendo: “Vi o Espírito descendo do céu como uma pomba e permaneceu sobre Ele. Eu não o conhecia; Aquele, entretanto, que me enviou a batizar com água me disse: ‘Aquele sobre quem vires descer e permanecer o Espírito, esse é o que batiza com o Espírito Santo’. E eu, de fato, vi e testifico que este é o Filho de Deus”. João 1:29-34 (KJA)

O primeiro versículo destes acima é, para mim, um dos mais belos e marcantes de toda a Escritura. João consegue traduzir perfeitamente a missão do Cristo ao afirmar: “Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo!”. Que declaração profunda da parte de João. Mas porque João chama Jesus de Cordeiro? Será que é simplesmente porque o Senhor era manso e humilde, não mesmo, ao menos não apenas por isso, com certeza existe muito mais nesta afirmação. Aqui encontramos uma clara menção aos sacrifícios executados pela Lei onde cordeiros precisavam ser sacrificados para que os pecados fossem perdoados, porém, desta vez o Cordeiro é o próprio Jesus. Único e suficiente Cordeiro de Deus. É Ele quem tira o pecado do mundo. Ele é Aquele que tem toda excelência e primazia, que possui todo o poder em Suas mãos. Também é bom notar que João batizava com água, mas o Senhor Jesus batiza com o Espírito Santo. E este batismo é exclusivo Dele, nenhum homem pode batizar desta forma, este batismo é o que nos torna um “novo homem”, é onde temos um “novo nascimento”, é onde recebemos um “novo coração”. E este batismo é ministrado apenas e tão somente por Jesus, o Senhor. Read More

NÃO SOU DIGNO DE DESAMARRAR AS SUAS SANDÁLIAS.

“E este é o testemunho de João, quando os judeus enviaram de Jerusalém sacerdotes e levitas para o interrogarem: “Quem és tu?” Ele confessou e não negou; mas declarou francamente: “Eu não sou o Cristo”. E o questionaram: “Quem és tu? És tu Elias?” Ele disse: “Não o sou”. “És tu o Profeta?” E João afirmou: “Não”. Então, perguntaram a ele: “Quem és tu? Dá-nos uma resposta, para que a levemos àqueles que nos enviaram; que dizes a respeito de ti mesmo?” E João lhes disse: “Eu sou a voz do que clama no deserto: ‘Fazei um caminho reto para o Senhor’, como disse o profeta Isaías”. Ora, os que haviam sido enviados faziam parte dos fariseus. E perguntaram-lhe ainda: “Então, por que batizas, se não és o Cristo, nem Elias, nem o Profeta?” João respondeu-lhe, dizendo: “Eu batizo com água; mas, no meio de vós, já está quem vós não conheceis. Ele é aquele que vem depois de mim, cujas correias das sandálias não sou digno de desamarrar”. Essas coisas aconteceram em Betânia, do outro lado do Jordão, onde João estava batizando”. João 1:19-28 (KJA)

Nestes textos encontramos João sendo interrogado por alguns sacerdotes e levitas que perguntaram-lhe “quem és tu?” afim de saber se ele era o Messias esperado. Mas João claramente lhes disse “eu não sou o Cristo”. E, não satisfeitos com sua resposta voltaram a questioná-lo, perguntando “quem és tu?” E seguem perguntando se era ele Elias ou o Profeta, e a todas estas perguntas João Batista afirma de maneira clara que não. Eles perguntaram se João era Elias devido a profecia de Malaquias (4:5) que diz: “Eis que eu vos enviarei o profeta Elias, antes que venha o grande e terrível dia do Senhor”. Porém, partiram de uma compreensão errada do que a mesma diz, pensando que o mesmo profeta Elias do passado seria enviado novamente, e por isso João logo afirma não ser ele Elias. No sentido mais literal ou da maneira que eles esperavam, realmente João não era Elias, mas o próprio Jesus afirma, através da correta compreensão da profecia de Malaquias, que João Batista realmente era Elias, porém de uma forma diferente da que os judeus pensavam. Read More

Páginas:12