ParaPraPensar.com

ELE CONHECE O CORAÇÃO.

“Estando Ele em Jerusalém, durante a festa da páscoa, muitos, vendo os sinais que Ele fazia, creram em seu nome; mas Jesus não se confiava a eles, porque os conhecia a todos. E não necessitava que alguém lhe desse testemunho acerca do homem, pois Ele bem conhecia o que havia na natureza humana”. João 2:23-25 (KJA)

Jesus estava em Jerusalém e, por conta dos milagres que realizou durante a festividade da Páscoa, muitos creram em seu nome. A princípio, penso ser importante notar que aqui a palavra nome é o mesmo que autoridade. Ou seja, aquelas pessoas creram na autoridade de Jesus, criam inclusive que Ele era um grande profeta, mas será que eles criam que Jesus era de fato o Messias, o Salvador esperado? Note que Jesus já os conhecia, pois Jesus conhece a todos, e ninguém precisava lhe ensinar algo, Ele não precisava de mestre algum pois Ele é o Mestre dos mestres e detentor de toda sabedoria.

É importantíssimo entendermos que nem todos os que professam ter fé(salvadora) em Cristo de fato a tem, nem todos os que dizem ser cristãos realmente são. Porém, nós não sabemos que é e que não é, quem tem e quem não tem fé genuína, porque não sondamos os corações. Porém, o Senhor sabe, Ele bem conhece o que há no coração humano. Nós no máximo conseguimos ver os frutos da árvore, mas o Senhor Jesus vê além, não apenas o que está exposto, mas o que está encoberto. Apenas conseguímos ver os frutos, mas Cristo vê até as raízes das árvores. Ele é quem conhece o oculto, Ele vê tudo e sabe tudo. Ele vê o que não vemos.

Outra coisa importante de notarmos é que as palavras creram e confiava são, no grego, a mesma palavra. Isso nos faz ler o texto da seguinte maneira: “vendo os sinais que Ele fazia, creram em seu nome; mas Jesus não creu neles, porque os conhecia a todos”. Vê que interessante, e intrigante, isso é? Eles Creram em Jesus, mas o Senhor Jesus não acreditou neles. E não percebemos isso apenas pela tradução, mas pelo contexto em que o texto está inserido. Não é difícil notar que a fé daquelas pessoas era uma fé rasa, que o crer deles era superficial. A fé que tinham não era genuína e salvífica, ao menos não até o momento.

Aquelas pessoas não conseguiram negar o que o Senhor Jesus fez, estava ali na frente delas, elas creram nos Seus atos miraculosos, acreditaram de verdade nos milagres por Ele realizados. Entretanto, fé deles não passava de uma fé intelectual, eles compreenderam os milagres mas não creram de maneira salvífica, não entregaram suas vidas por de maneira completa ao Senhorio de Cristo. E esta mesma fé rasa é encontrada hoje, em nossa nação por exemplo. Quase todo brasileiro diz que crê em Deus, mas apenas uma pequena porção destes de fato o seguem e entregam-se a Ele. E não pense que isto “surpreende” ao Senhor, nem um pouco, Ele conhece muito bem o coração do homem. Nada fica oculto diante Dele. Não podemos esquecer que todos, sem excessão, prestarão contas dos seus atos diante do Justo Juiz.

Que nossa fé seja frutífera e genuína. Que não sejamos como os que apenas creem nos Atos poderosos do Senhor, mas entreguemos nossas vidas completamente nas mãos do Poderoso Rei do universo. Que jamais esqueçamos que Ele vê o que ninguém vê e conhece o que ninguém mais conhece. Tudo o que fica oculto por trás das máscaras da hipocrisia é claramente exposto diante de Deus. Louvado seja o Senhor também por isso.

Victor Augusto


Para ler mais posts da série "APRENDENDO COM O EVANGELHO DE JOÃO", clique aqui

Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor e o blog www.paraprapensar.com, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.

Facebook Comments