ParaPraPensar.com

ACABOU O VINHO DO CASAMENTO.

“No terceiro dia, houve um casamento em Caná da Galileia. A mãe de Jesus estava ali. Jesus e seus discípulos também foram convidados. Tendo acabado o vinho, a mãe de Jesus lhe disse: “Eles não têm mais vinho”. Jesus lhe disse: “Mulher, em que essa tua preocupação tem a ver comigo? Ainda não é chegada a minha hora”. Sua mãe disse aos serviçais: “Seja o que for que Ele vos pedir, fazei”. Estava ali seis jarros de pedra, que os judeus usavam para as purificações, e cada um levava duas ou três metretas. Jesus disse aos serviçais: “Enchei os jarros com água”. E os encheram até à borda. Então lhes disse: “Tirai agora, um pouco, e levai ao mestre-sala”. Eles assim o fizeram. Quando o mester-sala provou a água transformada em vinho, não sabendo donde viera, embora o soubessem os serviçais que tiraram a água, chamou o noivo e lhe disse: “Todo homem serve primeiro o bom vinho e, depois que os convidados já beberam bastante, o vinho inferior é servido; tu, entretanto, guardaste o bom vinho até agora”. Com esse, deu Jesus princípio a seus sinais em Caná da Galileia; manifestou a sua glória, e os seus discípulos creram nele. Depois disso, desceu Ele para Cafarnaum, com sua mãe, seus irmãos e seus discípulos; e ficaram ali não muitos dias”. João 2:1-12 (KJA)

Neste relato encontramos o primeiro milagre do Senhor Jesus, e por isso é importante que olhemos para essa passagem com bastante zelo, pois as Escrituras nos mostram que, com esse, deu Jesus princípio a seus sinais. Também é importante notar como o matrimônio é importante para o Senhor, tendo em vista que o primeiro ato público do ministério de Jesus foi em um casamento. Um casamento que acontecia em Caná da Galileia, possivelmente nas proximidades de Nazaré, tendo em vista que Jesus e sua mãe foram ao casamento.

Maria vai a Jesus e Lhe diz que o vinho havia acabado. Não pensando em um milagre tal qual aconteceu, até porque o Cristo ainda não havia realizado nem sequer um prodígio. Penso que ela, compadecendo-se da situação, recorreu a Jesus em busca de uma maneira de abrandar aquela situação. Talvez Ele tivesse uma solução para aquele problema, mas naquele momento Cristo teve uma atitude bastante severa para com a Sua mãe, e não porque Ela houvesse pecado em solicitar a Jesus que Ele fizesse algo, mas porque Ele não queria que aquela situação não fosse corretamente compreendida e parecesse que Maria tivesse ordenado a Ele e, por isso, o Senhor Jesus tivesse realizado o milagre. Ele a repulsa não porque Ela agiu com má intenção, na verdade sua intenção era ótima, mas o Cristo queria realizar o seu milagre sem que qualquer mérito fosse direcionado a qualquer ser. Afinal, toda a glória é Dele.

Quando Jesus diz “ainda não é chegada a minha hora”, ele está dizendo a Maria: “tenha calma, no tempo certo eu farei”; e Maria, não insistindo, pediu que os servos fizessem tudo o que Jesus os dissesse. Muitas vezes queremos que o Senhor faça o que nós pedimos, mas esquecemos que primeiro temos que fazer como os serviçais da festa fizeram, “seja o que for que Ele vos pedir, fazei”, não queremos obedecer as Suas ordens mas queremos os Seus milagres. Interessante também é observar que Jesus fez tal milagre sem sequer tocar nos jarros, não fez uma oração, nem ordenou à água “se torne vinho”; e isso nos mostra como é poderoso e nosso Senhor, e como Ele não atua sempre da mesma forma, mas usando da maneira que melhor lhe apraz em cada momento.

Mas porque Jesus fez tudo isso? Há alguma razão maior? Sim, tudo isso Ele fez para manifestar a Sua glória. E os seus discípulos, que estavam com ele, creram Nele. Entretanto eles já criam, não? Afinal, eram discípulos Dele. Realmente, eles criam em Jesus, porém ainda com uma fé infante, necessitando de amadurecimento. Precisamos, assim como os discípulos do Mestre Jesus, crer Nele a cada dia mais, amadurecendo a nossa fé. Pois Ele revela sua grandeza e realiza inúmeros milagres em nossas vidas, não podemos continuar como crianças em relação ao Reino. Cristo se revela a nós, creiamos Nele mais e mais, dia após dia.

Creiamos Nele! Pois haverá, um dia, um matrimônio muito maior que este de Caná da Galileia. Será um casamento onde o próprio Jesus é o noivo e a Sua Igreja a noiva. Por Igreja não entendam os templos construídos, ou todos os que estão dentro destes, a Igreja que se casará com o Cristo é constituída apenas pelos que genuinamente creem no Senhor Jesus como Senhor e Salvador e arrependem-se dos seus pecados.

Louvado seja o Eterno Rei, o Noivo, pois tem poder não apenas para transformar água em vinho, mas para nos dar vida, e vida em abundância.

Victor Augusto


Para ler mais posts da série "APRENDENDO COM O EVANGELHO DE JOÃO", clique aqui

Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor e o blog www.paraprapensar.com, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.

Facebook Comments