ParaPraPensar.com

TRAGO EM MEU CORPO AS MARCAS DE CRISTO.

Quanto ao restante, ninguém tem autoridade para questionar-me, pois trago em meu próprio corpo as marcas de que pertenço a Jesus. Gálatas 6:17

Trago em meu corpo as marcas de que pertenço a Cristo, em outras versões encontramos trago no corpo as marcas de Jesus, mas que marcas são essas? A que marcas o apóstolo Paulo se refere? Paulo passou por muitas coisas e realmente ficou marcado por várias delas, e essas marcas o podem distinguir como escravo de Cristo, mas essas marcas as quais ele se refere não são marcas de ferida necessariamente, ainda que ele também as trouxesse. Mas a quais marcas ele está se referindo?

Paulo refere-se às marcas que um escravo tinha para quem soubessem quem era o seu senhor. Existiam escravos chamados de escravos de orelha furada. Para entender melhor, temos que compreender que a escravidão para eles era diferente do que entendemos hoje como escravidão. Os escravos hebreus eram escravos para pagar suas dívidas através do trabalho. Deus determinou no Êxodo que os escravos hebreus deveriam servir aos seus senhores por seis anos e no sétimo anos estaria livre, sem pagamento(Êxodo 21:2). Geralmente os hebreus eram escravos por dívidas ou pobreza extrema, e alguns escravos, após os anos trabalhando, se apegavam tanto aos seus senhores que optavam por voluntariamente continuar sendo escravo daquele senhor até o fim de sua vida, sem voltar à liberdade. E como sinal de sua entrega, o escravo tinha a orelha furada e “então, o seu senhor o levará aos juízes, e o fará chegar à porta ou à ombreira, e o seu senhor lhe furará a orelha com uma sovela; e ele o servirá para sempre”(Êxodo 21:6). Portanto, ser escravo de orelha furada simbolizava que você não estava servido aquele senhor por uma obrigação, pois já poderia estar livre, mas porque já não quer servir a outro senhor. É uma junção de serviço e amor. Além do mais, é bom citar que os escravos hebreus não eram chamados de escravos, mas servos.

É a isso que Paulo está fazendo referência, a essas marcas, às marcas de um escravo de orelha furada, que diz ao seu senhor que ainda que possa ir embora não quer, que prefere ficar e servi-lo para sempre. Paulo carregava em si essas marcas, e nós, será que também as carregamos? Levamos em nós as marcas de sermos servos de Cristo? Quando nos veem na rua enxergam algo diferente em nós? Não deveríamos precisar dizer “eu sou cristão” para que os outros soubessem, precisamos carregar essas marcas de servo de Jesus para que quando os outros nos vejam eles nos olhem e digam: “esse aí é um cristão de verdade!”

Paulo diz que ninguém tem autoridade para questioná-lo quanto as coisas que ele disse, pois carrega em seu corpo a marca de servo do Filho de Deus, e nós, será que também somos inquestionáveis quanto à nossa vida, nosso cristianismo, e nossa conduta? torno a perguntar: carregamos em nosso corpo as marcas de que pertencemos a Cristo? Que isso permaneça em nossa mente e que possamos buscar ser como as Escrituras nos mostram, e que possamos, todos nós, carregar em nosso corpo as marcas de que pertencemos a Cristo.

Que você seja como um servo de orelha furada do Senhor Deus, e que Ele te abençoe sobremaneira.

Victor Augusto


Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor e o blog www.paraprapensar.com, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.

Facebook Comments